“EU ME IMPORTO” REFLEXÕES SOBRE A CURATELA NO DIREITO BRASILEIRO

Juliana Melo Tsuruda, Lucineia Rosa dos Santos

Resumo


Introdução. O texto tem como proposta a reflexão sobre a curatela no direito brasileiro, a partir do filme “Eu me Importo”. Justificativa. Debruçando-nos sobre a temática da profissionalização da curatela, que é instituto do direito assistencial, nosso texto buscará analisar as semelhanças e diferenças entre o que assistimos no filme e o ordenamento jurídico brasileiro, à luz dos direitos humanos, com apontamentos quanto ao direito civil e ao direito processual civil. Objetivo. Nosso pano de fundo se trata de um filme em que pessoas idosas são indevidamente interditadas, a partir de narrativas criadas e provas forjadas pelas curadoras, cuja fonte de renda é a remuneração da curatela. Assim, nosso objetivo é perquirir se esse mesmo fato seria verificável no direito e no sistema de justiça brasileiros. Descrição da metodologia. A pesquisa é de abordagem qualitativa, metodologia documental e bibliográfica. Resultados. Verificamos que o direito brasileiro estabelece limites para ação dos curadores, mas há brechas legislativas que poderiam oportunizar uma interdição injusta. Conclusões. Se tivéssemos audiência preliminar antes da instituição de curatela provisória, diminuiríamos ainda mais a possibilidade de que alguém, injustamente, contra sua vontade ou sem necessidade premente, perca sua capacidade civil plena.


Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. Código Civil. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/2002/l10406compilada.htm>. Acesso: 26 abr. 2021.

BRASIL. Código de Processo Civil. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2015/lei/l13105.htm >. Acesso: 26 abr. 2021.

BRASIL. Constituição de 1988. Disponível em: . Acesso: 30 abr. 2021.

BRASIL. Decreto nº 592 de 6 de julho de 1992. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/1990-1994/d0592.htm>. Acesso: 26 abr. 2021.

BRASIL. Decreto n° 678 de 6 de novembro de 1992. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/d0678.htm>. Acesso: 26 abr. 2021.

BRASIL. Decreto nº 4.377 de 2002. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/2002/d4377.htm>. Acesso: 26 abr. 2021.

BRASIL. Decreto n° 6.949 de 2009. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2009/decreto/d6949.htm>. Acesso: 26 abri. 2021.

BRASIL. Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2015/lei/l13146.htm >. Acesso: 26 abr. 2021.

BRASIL. Lei nº 8.842 de 1994. Disponível em: . Acesso: 30 abr. 2021.

BRASIL. STJ. AgRg no AREsp 537990/RS AGRAVO REGIMENTAL NO AGRAVO EM RECURSO ESPECIAL 2014/0155002-7. Disponível em: . Acesso: 22 abr. 2021.

BRASIL. STJ. REsp 1205113/SP. RECURSO ESPECIAL. 2010/0139138-0. Disponível em: . Acesso: 22 abr. 2021.

BRASIL. STJ. RECURSO ESPECIAL No 1.686.161 - SP (2016/0255802-5). Disponível em: . Acesso: 23 abr. 2021.

BRASIL. STJ. RECURSO ESPECIAL No 1.694.984 - MS (2017/0012081-0). Disponível em: < https://processo.stj.jus.br/processo/revista/documento/mediado/?componente=ITA&sequencial=1652420&num_registro=201700120810&data=20180201&peticao_numero=-1&formato=PDF >. Acesso: 23 abr. 2021.

COMPARATO, Fábio Konder. A afirmação histórica dos direitos humanos. 8ª ed. São Paulo: Saraiva, 2013.

CRC RJ. Manual – Banco de Curador. Disponível em: . Acesso: 22 abr. 2021.

GAGLIANO, Pablo Stolze. PAMPLONA FILHO, Rodolfo. Novo Curso de Direito Civil Vol 1 - Parte Geral. 22ª ed. São Paulo: Saraiva, 2020. Edição do Kindle.

__________________ Novo Curso de Direito Civil Vol 6 – Direito de Família. 10ª ed. São Paulo: Saraiva, Edição do Kindle.

GONÇALVES, Marcus Vinícius Rios. Direito processual civil esquematizado. 11ª ed. São Paulo: Saraiva Educação, 2020, Edição Kindle.

MADALENO, Rolf. Direito de família. 10ª ed. Rio de Janeiro: Forense, 2020.

NERY, Rosa Maria de Andrade. NERY JUNIOR, Nelson. Instituições de direito civil: volume IV: família e sucessões. 2ª ed. São Paulo? Thomson e Reuters Brasil, 2019.

OAB/SP. E-5.195/2019. Disponível em: . Acesso: 22 abr. 2021.

ONU. Declaração Universal dos Direitos Humanos de 1948. Disponível em: < https://www.ohchr.org/en/udhr/documents/udhr_translations/por.pdf>. Acesso: 26 abr. 2021.

TARTUCE, Flávio. Direito civil: direito de família. 16ª ed. Rio de Janeiro: Forense, 2021.

THEODORO JUNIOR, Humberto. Curso de direito processual civil, volume II. Procedimentos especiais. 54ª ed. rev., ampl. e atual. Rio de Janeiro: Editora Forense, 2020.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


e-ISSN: 2525-5096